terça-feira, 3 de novembro de 2015

Triptofano: A cápsula da felicidade!

Triptofano: A cápsula da felicidade!

Agente fundamental na produção da serotonina, esse aminoácido é auxiliar no combate da depressão e da ansiedade

Triptofano: A cápsula da felicidade!
?Ela é sintetizada e armazenada nas células do trato gastrointestinal, nos neurônios, nos vasos sanguíneos e nas plaquetas. A serotonina tem função de estimulação ou inibitória. No trato gastrointestinal controla as respostas de náuseas, vômitos
Não é fácil ser feliz, mas também não é nada tão difícil. Existem mil e uma maneiras de buscar a felicidade, basta saber reconhecer quais são as preferências de cada um, ou seja, encontrar aquele motivo especial para sorrir. Para uns, o sorriso de uma criança já garante a alegria do dia; para outros uma compra bem farta no shopping é o motivo perfeito para a felicidade plena.
Quem vive malhando encontra na academia esse ‘quê’ todo especial. Existem ainda as pessoas que preferem mesmo contemplar a simplicidade da natureza. Há uma infinidade de maneiras de acertar de vez o alvo correto da felicidade e isso tem uma explicação. Já parou para imaginar porque um prefere o azul e outro o lilás? Porque comer caju dá prazer a beltrano e melão a cicrano?
O corpo humano é uma máquina bastante complexa, repleta de sensações, emoções, percepções e alterações. Um misto de ação e reação que só é capaz de ocorrer porque o ser humano é racional. Há uma explosão bioquímica capaz de causar diferentes impressões a cada instante. Tudo tem uma explicação para a ciência, e claro, seus personagens para que toda a ação cause uma reação.
Os neurotransmissores são peças importantes quando o assunto é transformação corporal. Um muito conhecido e fundamental para que todos sejam mais felizes é a serotonina, um componente primordial para o processo bioquímico do humor e do sono, ou seja, está presente em todo mundo. 
Ela desempenha ainda um importante papel no sistema nervoso, com distintas funções, como a liberação de alguns hormônios, manutenção da temperatura corporal, controle do apetite, condução da atividade motora e das funções cognitivas. Os triptofanos atuam ainda na indução do sono de forma natural, age como um antidepressivo natural, alivia as enxaquecas, contribui para a redução da ansiedade e a tensão, e ainda é capaz de aliviar sintomas dos distúrbios bioquímicos.
EIS O TRIPTOFANO
A química contida em cada alimento tem a capacidade de alterar a produção de neurotransmissores e consequentemente a reação de cada indivíduo. Existe uma lista farta em opções para contribuir para a produção desses neurotransmissores. Essa produção pode ser estimulada pelo consumo de alimentos que contenham triptofano.
“Ele nada mais é que um aminoácido essencial utilizado pelo cérebro, juntamente com a vitamina B3, a niacina (ou niacinamida) e o magnésio, para produzir a serotonina”, explica o médico nutrólogo, Dr. Raphael Higashi. Segundo o profissional, 2% desse aminoácido presente na dieta é convertido em serotonina.
“Ela é sintetizada e armazenada nas células do trato gastrointestinal, nos neurônios, nos vasos sanguíneos e nas plaquetas. A serotonina tem função de estimulação ou inibitória. No trato gastrointestinal controla as respostas de náuseas, vômitos, secreção intestinal e peristalse (movimento de contração do tubo digestivo)”, explica Dr. Higashi.
A falta da serotonina no corpo é notada facilmente. Sinais claros da deficiência leve dela são: a bulimia, a depressão, a instabilidade afetiva e a TPM. Já os sintomas da deficiência severa da serotonina, são: a ansiedade, principalmente à noite; o distúrbio do sono; a tensão muscular à noite, o sono agitado e a possibilidade de aumento da percepção da dor, especialmente à noite. “Na inflamação e na TPM os níveis de triptofano ficam baixos e a TPM leva a compulsão por doces e mal humor”, afirma Dr. Higashi.
E a ciência explica. “O triptofano é convertido em serotonina através do 5-hidroxitriptofano e metabolizado em melatonina na epífise. Outras muitas substâncias ativas fisiologicamente de ocorrência natural, tais como o ácido indolacético, um tipo de fitohormônio e a estricnina, um tipo de alcalóide indolólico, são derivados do triptofano”, afirma a nutricionista Rita Graziela Cherutti, pesquisadora em Transtornos de Humor e Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica.
INCLUINDO NO CARDÁPIO
Sendo o precursor de um dos neurotransmissores mais importantes na produção do humor e do sono, o triptofano deve ser mesmo incluído no cardápio, afinal de benefícios ele está cheio. “Todos os indivíduos devem possuir um equilíbrio alimentar, tendo em sua alimentação fontes de todos os aminoácidos essenciais e o triptofano é um deles, pois se a alimentação for insuficiente em qualquer um dos aminoácidos isso gera prejuízos na metabolização de outros, gerando carências nutricionais”, explica Rita Graziela.
Segundo ela, o triptofano deve ser consumido por quem tem depressão, hiperatividade, dificuldades de concentração e sono alterados. Em pessoas deprimidas a carência de triptofano exacerbam estes sintomas, sendo que sua falta leva ao desânimo físico e mental. “Ele está mais relacionado ao retardo de fadiga e economia de glicogênio. As necessidades médias diárias de um adulto do sexo masculino são de 3,5mg/kg/dia”, orienta a profissional.
Um box completo incluído nessa matéria traz uma lista de alimentos variados que trazem consigo o aminoácido triptofano. Mas ter prudência na hora de consumi-los é fundamental, afinal tudo que é demais pode fazer mal. “Por ajudar no controle da ansiedade, a pessoa que está menos ansiosa se torna menos compulsiva. E sabemos que a maior parte das pessoas com sobrepeso e obesidade é assim por descontar na comida alguma frustração ou alegria, devido ao excesso de ansiedade”, conta a nutricionista Mariana Ferri D’Avila.
Segundo ela, o triptofano auxilia essas pessoas ansiosas demais. “Normalmente, ele atua muito bem para aquelas pessoas que comem por vontade de comer e não por fome. Além disso, ajuda muito no controle de consumo de doces e carboidratos simples em geral”, complementa. Segundo Mariana, pessoas que tem dificuldade de dormir, com alto nível de estresse, irritabilidade e depressão também podem aderir.
“Também tem sido usada por pessoas que apresentam muitas dores musculares devido aos exercícios e por pessoas que tem poucas horas de sono. O ideal é consumir com orientação de um profissional, para ver o melhor horário e dosagem individualmente”, explica a nutricionista.
VOCÊ É O QUE VOCÊ COME
O estudo Food and Mood Project realizado na Inglaterra revelou benefícios de uma boa alimentação para a saúde mental. Nele, mais de 200 pessoas foram avaliadas através de uma dieta que media o impacto da mudança nutricional no humor. Resultado: 26% apresentaram melhora na instabilidade emocional, outros 26% em ataques de pânico e ansiedade e 24% em quadros depressivos. Para a obtenção desses resultados positivos os participantes reduziram a ingestão de açúcar, álcool, cafeína e chocolate e aumentaram o consumo de frutas e peixes.
Encontre o triptofano em...
Abacaxi, Amendoim, Amêndoas, Ameixa, Aveia, Bananas, Brócolis, Carnes magras, Castanha de caju, Chocolate (preferência: amargo ou alto teor de cacau), Frango, Grão de bico, Iogurtes desnatados, Leite, Leguminosas, Nozes, Ovos, Peixes, Queijos brancos e magros, Quinoa, Salmão, Sementes de abóbora e girassol
TÁ COMPROVADO!
Existem estudos que ligam a utilização de aminoácidos essenciais, como o triptofano. A ação de cada um varia em diferentes formas de benefícios:
• Auxiliam na hipertrofia muscular
• Possuem ação anti-catabólica
• Retardam a fadiga central
• Economizam os estoques de glicogênio muscular
Encontre a suplementação em triptofano via oral, em cápsulas ou em comprimidos
Atenção: ficar muitas horas sem se alimentar reduz consideravelmente os níveis de glicose, o que pode afetar negativamente o seu humor. Invista em felicidade, sempre!
FONTES CONSULTADAS:
Mariana Ferri D’Avila: Nutricionista clínica
Dr. Rafael Higashi: Médico especialista em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia
Rita Graziela Cherutti: Nutricionista consultora da New Millen, especialista em Psicologia e Nutrição Esportiva. Pesquisadora em Transtornos de Humor e Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica

Nenhum comentário:

Postar um comentário