quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Comendo as Emoções

Não é de hoje que ouço quase que diariamente dos meus pacientes:
"Devoro tudo quando estou nervosa!", ou ao contrário, "se estou nervosa bloqueio".
Bom o estresse, a vida cotidiana, filhos, marido, emprego, desemprego, contas, pensão alimentícia....Ufa..
São inúmeras as maneiras que nosso cérebro encontro para nos avisar que está na hora de parar, de reduzir, de pisar no freio.
Algumas dicas para os mais compulsivos:
Alguns responsáveis pela compulsão alimentar
- Dificuldade de se relacionar;  
- Sensação de não ser amado; 
- Problemas financeiros;  
- Comodismo;  
- Insatisfação;  
- Separação;
- Frustração;  
- Medo;  
- Ansiedade;  
- Angústia;  
- Baixa auto-estima;
- Solidão;  
- Insegurança;  
- Pessimismo;  
- Carência.
- Dificuldade de se relacionar;  
- Sensação de não ser amado; 
- Problemas financeiros;  
- Comodismo;  
- Insatisfação;  
- Separação;
- Frustração;  
- Medo;  
- Ansiedade;  
- Angústia;  
- Baixa auto-estima;
- Solidão;  
- Insegurança;  
- Pessimismo;  
- Carência.
Neste contexto tem-se na Terapia Nutricional um forte aliado unindo corpo e mente em uma sessão de atendimento. Vendo o paciente como um todo e não somente com um estômago ou um cerébro.
(Rita Cherutti, Nutricionista, especialista em Psicologia, Terapêuta Nutricional, Personal Diet)

Nenhum comentário:

Postar um comentário