terça-feira, 27 de julho de 2010

Alimentação e Hiperatividade

A hiperatividade infantil, com ou sem distúrbio de concentração e aprendizagem, tem como uma das suas principais causas desequilíbrios nutricionais, intoxicações por metais, carência de ácidos graxos essenciais, hipoglicemia e hipersensibilidades alimentares.
A criança portadora de hiperatividade e distúrbio de comportamento e concentração apresenta um conjunto de sintomas físicos e emocionais que comprometem seu desenvolvimento, podendo inclusive interferir no seu relacionamento social e seu rendimento na aprendizagem.
Atualmente as terapias disponíveis estão baseadas em psicoterapias e medicamenos classificados como psicofármacos, o que é benéfico para a diminuição de sintomas.
Porém deve-se levar em conta a prevenção por meio de uma alimentação balanceada, pode oferecer respostas eficazes, pois trabalha diretamente na causa deste distúrbio, por meio da terapia nutricional que corrige erros alimentares e promove também aliviado de alguns sintomas.
As carências de nutrientes provocadas por certos medicamentos devem ser avaliadas, bem como o fortalecimento das fontes alimentares na dieta destes nutrientes devem ser aumentadas.
O estabelecimento de rotinas e horários para alimentação, bem como coisas simples, como não comer em frente ao televisor ou vídeo game, devem ser estabelecidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário